UA-64715017-1 DICAS PARA VOCÊ ESCOLHER A EMPRESA DE RECARGA DOS EXTINTORES DE INCÊNDIO – Ekipp Fire

DICAS PARA VOCÊ ESCOLHER A EMPRESA DE RECARGA DOS EXTINTORES DE INCÊNDIO

PRÉDIOS SERÃO PASSÍVEIS DE MULTAS POR FALTA DE AVCB A PARTIR DE ABRIL DE 2019 NO ESTADO DE SÃO PAULO
11/03/2019
Afinal, condomínio horizontal (condomínio de casas) precisa de AVCB?
19/06/2019

DICAS PARA VOCÊ ESCOLHER A EMPRESA DE RECARGA DOS EXTINTORES DE INCÊNDIO

Na orientação para os nossos clientes em visitas técnicas, sempre buscamos enfatizar sobre os períodos de recargas de extintores de incêndio.

Porém, é importante explicar sobre os níveis de manutenção dos extintores de incêndio, conforme explicamos abaixo de forma bem sucinta:

  1. MANUTENÇÃO DE 1º NÍVEL: esta manutenção é conhecida como “inspeção visual” ou seja, é uma inspeção técnica e no local onde o extintor está instalado. Não é efetuada a recarga do agente extintor de modo efetivo ou abertura do casco do extintor e é feita no período de 1 ano da garantia do fabricante ou da empresa de recarga.

 

Conforme a NBR 12962:1998, a manutenção de primeiro nível consiste em:

  1. a) Limpeza dos componentes aparentes;

  2. b) Reaperto de componentes roscados que não estejam submetidos à pressão;

  3. c) Colocação do quadro de instruções;

  4. d) Substituição ou colocação de componentes que não estejam submetidos à pressão por componentes originais;

  5. e) Conferência, por pesagem, da carga de cilindros carregados com dióxido de carbono.

  1. MANUTENÇÃO DE 2º NÍVEL: é necessário levar o extintor até a empresa que fará a manutenção. Faz a desmontagem completa do extintor para limpeza dos componentes, inspeção de peças e parte interna, ensaios nos componentes, recarga e pressurização, colocação do anel, trava e lacre.

 

Segundo determinação da NBR 12962:1998, na manutenção de segundo nível deverá ser executada:

  1. a) A desmontagem completa do extintor;

  2. b) A verificação da carga;

  3. c) A limpeza de todos os componentes;

  4. d) A verificação das partes internas e externas quanto à existência de danos ou corrosão;

  5. e) A substituição de componentes, quando necessário, por outros originais;

  6. f) A regulagem das válvulas de alívio e/ou reguladora de pressão, quando houver;

  7. g) O controle de rosca visual, sendo rejeitadas as que apresentarem um dos seguintes problemas:

  • Crista da rosca danificada;

  • Falhas nos filetes da rosca;

  • Flancos da rosca desgastados.

  1. h) A verificação do indicador de pressão conforme NBR 15808:2010;

  2. i) A fixação dos componentes roscados com torque recomendado pelo fabricante;

  3. j) A pintura do casco conforme NBR 7195:1995 e colocação do quadro de instruções, quando necessário;

  4. k) A verificação da existência de vazamento nos componentes e no casco;

  5. l) A colocação do lacre, identificando o executor do serviço;

  6. m) O exame visual dos componentes plásticos – com o auxílio de lupa com aumento de, pelo menos, 2,5 vezes – os quais não podem apresentar rachaduras ou fissuras.

  1. 3º Nível: faz o mesmo serviço que no de 2º nível, realizando a revisão total do extintor de incêndio, incluindo o ensaio hidrostático, que verifica vazamentos e a resistência do extintor.

 

Em um serviço de manutenção de terceiro nível, deverá ser realizado(a):

  1. Ensaio hidrostático do casco do extintor e do cilindro de gás propelente, quando houver;

  2. Ensaio hidrostático da válvula de descarga e da mangueira;

  3. Remoção da pintura existente e aplicação de novo tratamento superficial do cilindro e dos componentes, segundo a NBR 7195:1995, sempre que necessário;

  4. A pintura do casco deve ser removida antes da realização do ensaio hidrostático;

  5. Recarga do extintor de incêndio conforme especificado na NBR 12962:1998.

 

ROTEIRO PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESAS PARA MANUTENÇÃO DOS EXTINTORES

 

  1. Tenha cuidado com orçamentos muito abaixo da média de preço do mercado;

  2. Seja criterioso ou criteriosa em sua escolha e opte pelo melhor ao invés do menor preço;

  3. Se resguarde e verifique se a empresa é certificada pelo INMETRO;

  4. Antes de enviar o extintor para manutenção, recomendamos que esvazie o extintor de água e CO2, e utilize de forma rápida o extintor de pó químico seco, pois irá “forçar” a empresa prestadora a realmente efetuar o serviço. Outra alternativa é utilizar estes extintores que irão para manutenção na reciclagem do treinamento da brigada de incêndio;

  5. Com o orçamento aprovado, verifique com a empresa na retirada dos extintores se ficarão substitutos no local. Recomendo a criação de um adesivo de controle em seu extintor para garantir que o extintor que foi para manutenção será o mesmo que voltará para o seu imóvel;

  6. No retorno, verifique se o lacre não está violado e se os extintores não foram trocados.

Por fim, se faz importante esclarecer sobre a importância da cor do anel do extintor de incêndio, pois ela indica o ano em que foi feita a manutenção, facilitando assim a inspeção de quem for verificar os extintores do local em saber sobre a validade do equipamento.

Abaixo, seguem a cor do anel que está sendo usada neste ano, e as que serão usadas nos próximos anos.

A EKIPP FIRE presta assessoria técnica e documental, te auxiliando na regularização da Licença do Corpo de Bombeiros do seu imóvel e regularização do sistema de combate a incêndio. Entre em contato conosco e solicite seu orçamento.

EKIPP FIRE
EKIPP FIRE
ASSESSORIA EM SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *